quinta-feira, 6 de novembro de 2008

A (ir)Realidade

Represento hoje
aquilo que não
posso manusear

Um ideal maravilhoso
sendo repleto
de realidades diversas
que como ser
entenderei apenas sombra
e talvez represeta'o nível de nada.

5 comentários:

Pedro Freire disse...

É a primeira vez que eu escrevo uma poesia na qual a métrica importa mais do que cada palavra.

Espero que entendam... ^^

Abraços e beijos.

Luly disse...

você e suas antíteses... ^^

aplausos!

Caio A. T. Bonatti disse...

As vítimas do rondó...
uahuahauha
Continua afiado na poesia Pedrão, parabéns ^^
Agora já pro R&G postar a continuação!!!
=D

Dani Vieira disse...

Essa (ir)realidade

está mais para surealidade!

Parabéns, você escreve muito bem!!!

:D

beijos

Gúh! disse...

métrica...

primeiro poeta que vejo falar disso nos dias de hoje...!


parabéns, belo blog ^^